INTERNACIONAL

Estados Unidos

Atentado antissemita em Pittsburgh

Por Filipe David
05 de novembro de 2018

Milhares de pessoas se reuniram para uma vigília à luz de velas, pelas vítimas do atentado na sinagoga
 

Vatican Media

Robert Bowers, 46, invadiu a Sinagoga Tree of Life (Árvore da Vida), em Pittsburgh, na manhã do sábado, 27 de outubro, durante as celebrações do shabat, e abriu fogo contra a assembleia, matando 11 pessoas e deixando seis feridos. Ao tentar sair da sinagoga, o homem trocou tiros com a Polícia e feriu quatro oficiais. O atirador foi ferido pela Polícia e levado a um hospital. As autoridades acreditam que ele agiu sozinho. 

Testemunhas dizem que Robert gritou que “todos os judeus têm de morrer” enquanto atirava nas pessoas. O suspeito tem um histórico de publicações antissemitas nas redes sociais. Ele considera que os judeus são “o inimigo das pessoas brancas” e condenou o presidente Donald Trump – cujos netos são judeus e cuja política externa é de apoio quase incondicional a Israel: “A América não será grande enquanto houver uma infestação de judeus”. Robert também acusava os judeus de estarem por trás da entrada de imigrantes nos Estados Unidos. 

O Bispo de Pittsburgh, Dom David Zubik, denunciou o antissemitismo e pediu a Deus por paz: “Que Deus nos livre do medo e do ódio, e semeie a paz em nossas vidas, em nossas comunidades e no mundo”, afirmou. O Bispo ainda lembrou que a Diocese e a Sinagoga mantêm laços estreitos há muitos anos. O Papa Francisco também ofereceu suas preces pelas vítimas do atentado: “Que o Altíssimo acolha os mortos em sua paz, conforte suas famílias e ajude os feridos”, afirmou durante o Ângelus do domingo, 28 de outubro.

Fontes: CNA/ CNN/ FOX News/ Breitbart
 

LEIA TAMBÉM: Neopaganismo em alta na sociedade norte-americana

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.