Em missão, seminaristas são enviados a diferentes realidades da cidade

Por
04 de julho de 2019

Os seminaristas da Arquidiocese de São Paulo foram enviados no domingo, 30 de junho, pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, para a Missão de Férias. Até o próximo dia 7, os seminaristas estarão espalhados pelas seis regiões episcopais e também atuarão nas pastorais do Menor, Carcerária e do Povo da Rua, para uma intensa vivência missionária.  
“Estamos enviando os seminaristas para participar de nossa Semana Missionária da Arquidiocese de São Paulo, para uma experiência que estamos realizando há vários anos e que se mostra bonita e frutuosa também para a formação dos futuros sacerdotes. Peço a todos a constante oração, apoio e incentivo aos seminaristas, para que eles possam realizar bem a sua formação e a sua missão”, disse Dom Odilo, na bênção de envio aos seminaristas. 

ESPÍRITO MISSIONÁRIO 
Uma das metas da Missão de Férias dos seminaristas é despertar nas paróquias e outras estruturas da Arquidiocese um espírito missionário capaz de impulsionar a ação evangelizadora e missionária da Igreja na metrópole e propiciar aos futuros sacerdotes uma experiência de pastoral urbana missionária, para prepará-los à evangelização na cidade.
No total, divididos em grupos, 52 seminaristas das casas de formação da Teologia, Filosofia e Propedêutico estarão em missão nas Paróquias São José (Região Lapa), Santo Antônio (Região Ipiranga), Nossa Senhora das Dores (Região Santana), Imaculada Conceição (Região Belém), Cristo Rei (Região Brasilândia) e Nossa Senhora dos Remédios (Região Sé), escolhidas para a Missão de Férias este ano.  
Ao longo da semana, os seminaristas, acompanhados de agentes pastorais, vão participar de ações de evangelização e conhecer as chamadas realidades de fronteira, como a dos cárceres, com a Pastoral Carcerária; dos projetos sociais assistidos pela Pastoral do Menor; e das principais dificuldades dos que vivem nas ruas, com a Pastoral do Povo da Rua.    

ESPíRiTO EVANGÉLICO 
Os missionários são chamados a escutar, com atenção e espírito evangélico, o que as pessoas visitadas falam. Também devem se informar sobre as atividades da paróquia, conversar sobre a realidade de cada família e os desafios do bairro e motivar a oração e a reflexão da Palavra de Deus.
Pessoas doentes, desempregadas, vítimas de violência, solitárias e marginalizadas receberão atenção especial dos seminaristas, assim como aquelas que estão afastadas do convívio da comunidade de fé. 
Periodicamente, após cada dia de visita, os seminaristas avaliam as atividades realizadas, refletem sobre as realidades encontradas e a maneira como a Igreja pode se fazer mais presente aos moradores de cada bairro. A Missão de Férias dos seminaristas será concluída na manhã da segunda-feira, 8, no Seminário de Teologia Bom Pastor, com um encontro avaliativo sobre todas as atividades realizadas e a celebração de missa, com a presença do Cardeal Odilo Scherer.

Comente

Reunidos num só corpo

Por
26 de junho de 2019

Após a missa da quinta-feira, 20, que começou às 10h, em frente à Catedral da Sé e foi presidida pelo Cardeal Scherer, os fiéis seguiram em procissão até a Igreja de Santa Ifigência. A tradicional procissão de Corpus Christi é uma manifestação pública da fé e envolve muitas pessoas em torno do corpo e sangue de Cristo.

 

Alessandra Paiva Cerf e Fábio Cerf estavam caminhando com seus três filhos durante a procissão. Eles são membros da Comunidade Católica Shalom e todos os anos, sempre que possível, participam da Celebração de Corpus Christi junto a toda a Arquidiocese. "É um sacrifício, vir com as crinças, caminhar com elas pelo centro da cidade. Mas, é muito importante, pois aqui vemos o quanto a Igreja é grande e como somos todos membros de um só corpo", disse Alessandra.

Em frente ao Mosteiro de São Bento, Rosália Alma Kazuri viu a procissão passar. Seu filho, Apurinan Kazuri, 14, estava com um terço nas mãos e parou para cantar e rezar junto aos fiéis. Mãe e filho vão todos os dias para o local vender artesanato indígena, pois são da etnia xucuri ororubá. "Estamos em São Paulo há seis meses e estou vendendo artesanato para sobreviver e também tentar lançar um livro sobre meu povo", disse Alma Kazuri. 

Católica, a indígena ressaltou o fato de os católicos mostrarem a fé para fora dos muros da Igreja. "Muitas pessoas não entram mais nas igrejas. Por isso, a procissão, a manifestação da fé na rua, é muito importante", disse.

 

Comente

Membros do Conselho de Assuntos Econômicos tomam posse

Por
26 de junho de 2019

O Conselho de Assuntos Econômicos (CAE) da Arquidiocese de São Paulo realizou sua reunião ordinária na segunda-feira, 10, na Cúria Metropolitana de São Paulo, no  bairro de Higienópolis. 


Na ocasião, tiveram a provisão renovada os conselheiros Dr. Ives Gandra da Silva Martins e Dr. Fabio Nusdeo. Também assumiram como conselheiros o Dr. Rubens Naman Rizek Junior e o Dr. Mairan Gonçalves Maia Junior. Atualmente, também integram o CAE os conselheiros Dr. Luiz Fernando Peres e Dr. Vidal Serrano Nunes Junior.


Na Arquidiocese de São Paulo, o CAE é composto pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, que o preside, e pelos conselheiros. Também participam das reuniões do Conselho os procuradores da Mitra Arquidiocesana de São Paulo e um secretário. 


Previsto pelo Código de Direito Canônico, o CAE é um órgão consultivo que tem a missão de auxiliar o bispo diocesano nas questões administrativas da Igreja particular, como a aprovação de orçamentos, verificação de balanços ou outras decisões ligadas à administração e patrimônio da diocese. 

 

EM VISTA DA EVANGELIZAÇÃO
O Padre Zacarias José de Carvalho Paiva, Procurador da Mitra Arquidiocesana e Coordenador da Cúria Metropolitana, explicou ao O SÃO PAULO que a gestão dos recursos e bens temporais da Igreja deve ser feita sempre em vista da evangelização. 


De igual modo, as paróquias também devem ter um Conselho Paroquial de Assuntos Econômicos com a mesma função de aconselhar o pároco a tomar as decisões administrativas. 


“As decisões devem ser sempre tomadas a partir da escuta, do diálogo com aqueles que são especialistas nessas áreas administrativas”, ressaltou o Procurador. 


O Direito Canônico também prevê que as dioceses possuam um Conselho de Presbíteros e um Conselho de Pastoral, que auxiliem o bispo no exercício de seu ministério à frente do rebanho a ele confiado.

Comente

Segunda sessão das assembleias ampliará diagnóstico da realidade regional

Por
05 de junho de 2019

As regiões episcopais da Arquidiocese de São Paulo começam a se preparar para a segunda sessão das Assembleias Regionais do sínodo arquidiocesano, que acontecerá nos meses de junho e julho.

Conforme explica o Regulamento das assembleias regionais do sínodo, essa sessão tem a finalidade de “analisar e refletir sobre a vida e missão da Igreja nas regiões, para elaborar um diagnóstico da realidade eclesial regional nos seus aspectos de comunhão e participação, indicando avanços e desafios pastorais e missionários”. 

Para isso, essa sessão contará com um momento preparatório, que permitirá uma participação ampliada das diversas organizações eclesiais presentes nas regiões. “Esse momento preparatório será a oportunidade de cada organização pastoral avaliar a sua caminhada à luz das questões levantadas pelo sínodo e, ao mesmo tempo, perceber o quanto cada uma delas está, de fato, inserida na vida da paróquia, do setor e da região”, explicou, ao O SÃO PAULO, o Padre José Arnaldo Juliano dos Santos, Teólogo-Perito do sínodo arquidiocesano.

GRUPOS

Durante o mês de junho, haverá encontros de grupos de pastorais, movimentos, novas comunidades, congregações religiosas e demais organizações eclesiais agrupadas a partir das coordenações pastorais segundo âmbitos específicos de atuação, previstos pelo 12º Plano de Pastoral da Arquidiocese (veja o box).

SETORES

Outra modalidade de grupo é a dos setores pastorais, constituída pelos representantes das paróquias eleitos nas assembleias paroquiais do sínodo, pelos párocos e diáconos de cada setor. “ certamente, nesse grupo haverá membros de pastorais e outras organizações. No entanto, essa será a ocasião de refletir a partir da realidade dosetor no seu conjunto”, reiterou o Perito.

CLERO

Também os padres e diáconos que atuam na região episcopal realizarão sua reunião específica para se debruçar sobre as reflexões do sínodo na perspectiva própria de sua vida e missão.

METODOLOGIA

  • As reuniões de cada grupo serão guiadas por um roteiro proposto pelo Regulamento das Assembleias Regionais do sínodo, que apresenta algumas questões:
  • Elaborar um diagnóstico sobre a atuação do grupo na região episcopal (iniciativas, resultados, lacunas, dificuldades...).
  • De que modo cada grupo avalia os resultados da pesquisa de campo e dos levantamentos paroquiais de 2018? Como se sente interpelado por eles?
  • Quais são, segundo o grupo, os maiores desafios, dificuldades e urgências para a missão da Igreja, no seu todo, na região episcopal?
  • Que cada grupo apresente três questões importantes, no âmbito de atuação do seu grupo, onde “a conversão missionária” se faz mais urgente.

RELATÓRIOS

Por fim, deve-se elaborar um relatório sobre as questões tratadas pelo grupo para ser apresentado em julho,na reunião plenária da segunda sessão da Assembleia.

Esses relatórios, devem ser reunidos a partir de cada coordenação pastoral e encaminhados para a Comissão Regional do sínodo. Contudo, Padre José Arnaldo esclareceu que é possível e, em alguns casos, recomendável, que os grupos realizem reuniões separadamente. Por exemplo: as organizações que pertencem à Coordenação Pastoral da Vida e Família, como a Pastoral Familiar e o Encontro de Casais com Cristo, Curso de Noivos, poderão constituir um único grupo ou se reunir separadamente. Igualmente, associações como o Apostolado da Oração, Legião de Maria etc. poderão fazer suas reuniões específicas. Já as organizações que são menos numerosas poderão se agrupar. “O importante é que as realidades específicas de cada organização estejam contempladas nas reflexões”, reiterou o Perito.

No caso dos movimentos e novas comunidades, recomenda-se que cada um faça a sua reunião específica e depois reúna suas contribuições com as demais organizações da mesma coordenação pastoral. A mesma recomendação é dada aos institutos de vida consagrada.

OLHAR AMPLO

Padre José Arnaldo enfatizou que não se trata de reunir para essa etapa preliminar o Conselho Regional de Pastoral (CRP), constituído apenas de representantes das organizações pastorais. “O CRP já faz parte da assembleia regional. Essa etapa é destinada a ouvir o maior número possível de integrantesdas organizações eclesiais presentes na região. É mais amplo.”

PLENÁRIA

A segunda sessão da assembleia em si será a reunião plenária, que acontecerá em julho, com os membros convocados inicialmente, assim como na primeira sessão, conforme o Regulamento. Nessa reunião, serão apresentados os relatórios de cada coordenação pastoral, dos setores e do clero, em vista do diagnóstico abrangente e profundo dos caminhos pastorais percorridos e das urgências a enfrentar. Padre José Arnaldo enfatizou a necessidade da etapa preparatória nos grupos. “É importante que cada organização tome consciência de sua atuação e presença na vida eclesial concreta em vista do caminho de comunhão, conversão e renovação missionária proposto pelo sínodo”, completou.

Comente

Projeto ‘Pequenos Chefs’ reúne crianças carentes assistidas pela Pastoral do Menor

Por
30 de abril de 2019

A Catedral Metropolitana de São Paulo, localizada na Praça da Sé, abriu suas portas nesta terça-feira, 30, para 2º edição do projeto “Pequenos Chefs na Catedral”, que acolheu 80 crianças carentes de centros educacionais e projetos sociais assistidos pela Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo. 

Na ação, as crianças de 7 a 13 anos realizaram o tour pela igreja-mãe da Arquidiocese e aprenderam, além das histórias e curiosidades, algumas receitas com o chef Anderson Clayton, idealizador do projeto que conta com o apoio da Sabesp e do Governo do Estado de São Paulo.

CULTURA E LAZER

Segundo Sueli Camargo, coordenadora arquidiocesana da Pastoral do Menor, o evento também é uma oportunidade de relembrar a Campanha da Fraternidade 2019, pois o lazer e a cultura são políticas públicas que as crianças precisam ter acesso. 

“O objetivo é que essas crianças tenham um momento cultural e de aprendizado e a oportunidade de conhecer a Igreja-mãe, pois muitos deles se quer tem a oportunidade de vir ao centro e conhecer a Catedral, pois são das periferias distantes. Também é um momento de evangelização através da história e cultura”, disse Sueli.

A coordenadora reiterou que essa experiência marca a vida e a história das crianças e também é uma oportunidade de muitos terem o primeiro ‘anúncio da fé’, por meio dos momentos proporcionados por este projeto, que até os próprios educadores se envolvem.

“Muitos profissionais vinculados aos diversos projetos nunca tiveram essa oportunidade e hoje são adultos e não tinham esse conhecimento dessa história rica que nossa catedral trás. Então para os educadores que acompanham esse processo, também tem sido gratificante pela experiência e aprendizado”, concluiu.

EM TORNO DA MESA

Depois de realizar o tour pela igreja, lideradas pelo personagem Guinho, as crianças tiveram a oportunidade de se tornar pequenos chefs de cozinha, com direito a diploma, mas antes aprenderam receitas mais saudáveis de brigadeiro com aveia e suco verde.

O Chef Anderson Clayton recordou a alegria de toda equipe em realizar pelo segundo ano da iniciativa que acima de tudo é social e educativa, em vez de impor restrições alimentares mostra o universo da Gastronomia e da Culinária para as crianças por meio dos princípios cristãos.

“Apresento essas receitas de forma lúdica, divertida, educacional e passando os princípios cristãos, pois a gente acredita que é em volta da mesa e ao repartir do pão que a criança vai entender o que é família”, disse Anderson.

EDUCAÇÃO E INCLUSÃO

O chef contou que o principal objetivo da iniciativa é, por meio do aspecto social, levar a Cultura e a Gastronomia para as crianças, em parceria com a Arquidiocese de São Paulo e a Catedral da Sé.

“A gente prefere mostrar o universo da Gastronomia e da Culinária para que as crianças comecem a entender o que é comer bem. Acho que essa é a grande brincadeira e sacada do projeto. A partir do momento que a criança percebe que uma fruta legal, pode fazer um doce super saudável ai eles começam a conhecer e descobrir os alimentos”, concluiu Anderson.

 

Comente

Lideranças rearticulam Pastoral da Moradia na Arquidiocese

Por
13 de julho de 2018

Diversas lideranças da União dos Movimentos de Moradia (UMM) e de outros movimentos que lutam por moradia estiveram reunidas no sábado, 7, na sede da Caritas Arquidiocesana de São Paulo, na região central de São Paulo.

Na ocasião, Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar de São Paulo na Região Episcopal Sé, e Frei Agostino, da Comunidade Missão Eucarística Voz dos Pobres, retomaram a organização da Pastoral da Moradia na Arquidiocese. Foi feito ainda, um resgate histórico da Pastoral e uma análise da realidade atual na cidade.

Uma comissão de atuação permanente foi criada para organizar as atividades junto a Pastoral da Moradia, a Coordenação Arquidiocesana de Pastoral (CAP), e as pastorais sociais.

As reuniões da Pastoral da Moradia acontecerão na sede da Caritas Arquidiocesana (Rua Major Diogo - 834 - Bela Vista), todo último sábado do mês.

Haverá, ainda, um Encontro da Pastoral do Regional Sul 1 na CNBB, nos dias 27, 28 e 29 na cidade de Limeira (SP).

Comente

‘Não importa o frio se há calor no Coração’

Por
22 de mai de 2018

Com a chegada das baixas temperaturas, todos os cristãos são convidados a um gesto de solidariedade com aqueles que precisam se proteger do frio. Por isso, a Arquidiocese de São Paulo, por meio da Caritas Arquidiocesana de São Paulo, com o apoio do jornal O SÃO PAULO, do portal ArquiSP e da rádio 9 de Julho, inicia a Campanha do Agasalho 2018, com o tema “Tive frio e me vestistes” e o lema “Não importa o frio se há calor no coração”.

“Diariamente, deparamo-nos, na cidade de São Paulo, com o número crescente de pessoas que estão morando nas ruas; com irmãos desempregados; familias vivendo em condições indignas de moradia; migrantes e refugiados que buscam uma vida melhor; entre tantas outras situações. Em meio a tantos sofrimentos, não podemos fechar nossos corações.”, se manifesta a Caritas Arquidiocesana por meio a nota.

Os postos de coletas são as paróquias e comunidades católicas da Arquidiocese de São Paulo. Podem ser doados cobertores, blusas, casacos, meias, calças e tudo que ajude os mais necessitados a aquecerem-se.

“O inverno é momento de olharmos mais atentamente para nossos irmãos e irmãs desagasalhados, que sofrem com o frio nas ruas, em casas ou em instituições sem ter a quem recorrer”, concluiu a nota assinada pelo Padre Marcelo Maróstica Quadro, Diretor da Caritas Arquidiocesana de São Paulo.

Há também a possibilidade de enviar as doações para as instituições sociais: Centro de Referência para Refugiados, Aliança de Misericórdia, Missão Belém, Arsenal da Esperança, Casa do Migrante e Casa de Oração do Povo da Rua; e outras organizações que trabalham em conjunto com a Igreja em São Paulo.

CONFIRA OS ENDEREÇOS:

Centro de Referência para Refugiados

Rua Major Diogo, 834 - Bela Vista

Aliança de Misericórdia

Rua Avanhandava, 616 – Bela Vista

Missão Belém

Rua Nelson Cruz, 10 - Belenzinho

Arsenal da Esperança

Rua Doutor Almeida Lima, 900 – Mooca

Casa do Migrante

Rua Glicério, 225 - Liberdade

Casa de Oração do Povo da Rua

 Rua Djalma Dutra, 3, no Bom Retiro/Luz.

Comente

Abertura do sínodo arquidiocesano acontecerá no próximo sábado

Por
20 de fevereiro de 2018

A Arquidiocese de São Paulo se prepara para celebrar o sínodo arquidiocesano, que será uma das prioridades do ano pastoral de 2018 para a Igreja em São Paulo.

Na realização do sínodo, toda a Arquidiocese é convocada a uma nova tomada de consciência de sua natureza, missão e ação.

O evento inaugural desta etapa do sínodo acontecerá no próximo sábado, dia 24, a partir das 14h no Colégio São Luís: “No próximo sábado iniciaremos o sínodo na nossa Arquidiocese com a abertura oficial que nós faremos. Será um momento muito importante, da gente se colocar diante da realidade da nossa Arquidiocese”, afirmou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, em entrevista à rádio 9 de julho.

Sínodo Arquidiocesano: um caminho feito em comunhão

Todos os envolvidos na realização do sínodo, nas paróquias e comunidades são convocados a participar com alegria deste momento da vida da Arquidiocese.

Encontro de Abertura – Sínodo Arquidiocesano

24 de Fevereiro ás 14h

Centro de Eventos São Luis (Salão Santo Inácio)

Rua Luis Coelho, 323 – Consolação

ACESSE A PÁGINA DO SÍNODO NO PORTAL DA ARQUIDIOCESE

NA RÁDIO 9 DE JULHO

Acompanhe os boletins jornalísticos diários, às 11h e às14h.

Ouça em AM 1.600 kHz – em toda a Grande São Paulo

Acesse em: www.radio9dejulho.com.br

CLIQUE AQUI, BAIXE O APLICATIVO E OUÇA EM SEU CELULAR

 

Comente

Dia Mundial dos Pobres contará com programação especial na Arquidiocese

Por
17 de novembro de 2017

Em sintonia com os apelos do Papa Francisco, o Vicariato Episcopal para a Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo celebra no sábado, 18, e no domingo, 19, o Dia Mundial dos Pobres, que terá como tema “Não amemos com palavras, mas com obras”.

“Nesta primeira jornada do Dia Mundial dos Pobres, instituída pelo Papa Francisco, nós esperamos vivamente que a Igreja dê uma resposta e faça o que o Papa disse: Que hajam gestos concretos.” Afirmou o Padre Julio Lancelotti, Vigário Episcopal para a Pastoral do Povo da Rua, em entrevista à rádio 9 de Julho.

Dom Luiz Carlos Dias: O Dia Mundial dos Pobres e a república brasileira

O Dia Mundial dos Pobres foi instituído pelo Papa Francisco, na conclusão do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, em 2016.

A Pastoral do povo Rua da Arquidiocese, com vários grupos e movimentos da Igreja, realizará uma programação especial para celebrar a data, com 18 horas de adoração ininterrupta. Confira a programação completa:

Dia 18/11 - Sábado

14h - Início pastoral com os irmãos (corte de cabelo e barba, louvor e adoração)

Início da adoração Eucarística

17h - Terço (procissão com imagem Nossa Senhora Aparecida)

22h - Santa Missa (Padre Julio Lancelotti)

Dia 19/11 – Domingo

06h - Laudes

8h - Café da manhã com os irmãos

9h – Encerramento da adoração Eucarística

11h – Santa Missa na Catedral da Sé

LEIA TAMBÉM

Sim ao pobre, não à pobreza

NA RÁDIO 9 DE JULHO

Acompanhe os boletins jornalísticos diários, às 11h e às14h.

Ouça em AM 1.600 kHz – em toda a Grande São Paulo

Acesse em: www.radio9dejulho.com.br

CLIQUE AQUI, BAIXE O APLICATIVO E OUÇA EM SEU CELULAR

 

Comente

Encontro com padres novos da Arquidiocese

Por
01 de novembro de 2017

Reunidos em Campos do Jordão (SP), os padres novos da Arquidiocese de São Paulo aqueles que possuem até oito anos de ordenação partilharam três dias de convívio fraterno, entre 30 de outubro e 1º de novembro, junto ao Cardeal Scherer, Arcebispo Metropolitano.

No encontro, os sacerdotes puderam expor suas alegrias, dificuldades e desafios pastorais. O Cardeal ouviu atentamente tais exposições, animando cada um dos padres a viver de forma muito frutuosa o ministério sacerdotal de Jesus Cristo.

O Cônego Walter Caldeira, Provedor da Venerável Irmandade São Pedro dos Clérigos, também falou aos padres sobre a importância de se viver muito unidos aos irmãos: “Vale a pena ser padre! Vale a pena fazer aquilo a que Deus te chamou, pela oração, pela Eucaristia e pelo auxílio mútuo entre os padres!”

Posteriormente, o Cardeal, falando sobre o sínodo arquidiocesano, convocou os padres novos a testemunharem cada vez mais a presença de Deus na cidade de São Paulo: seja por meio de símbolos externos dos templos, seja, principalmente, por uma ação missionária mais intensa. Dom Odilo exortou os padres para que não descuidem de sua formação permanente, que toca no aperfeiçoamento das quatro dimensões que confluem para um ministério sadio e santo: todos os padres devem se exercitar e aperfeiçoar em sua dimensão humana, espiritual, pastoral e intelectual. Assim, segundo o Cardeal Scherer, será possível corresponder à vontade de Deus para a Igreja.

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.