INTERNACIONAL

Sudão

Acordo entre civis e militares sobre estrutura do governo de transição

Por Gustavo Catania Ramos
15 de mai de 2019

Logo depois do anúncio do acordo, houve confrontos entre a Polícia e manifestantes

IstoÈ

O conselho militar e representantes civis, na segunda-feira, 13, retomaram as negociações sobre o governo de transição após a destituição de Omar al-Bashir, da Presidência do Sudão em 11 de abril deste ano, após ficar 30 anos no poder. As negociações haviam sofrido uma paralisação de 15 dias.

Logo depois do anúncio do acordo, houve confrontos entre a Polícia e manifestantes contrários a medida e que querem que o País seja governado por civis.

“Elementos não identificados que queriam sabotar as negociações entre as duas partes abriram fogo em frente à sede do Exército sudanês, matando um comandante da Polícia Militar e ferindo três soldados e vários civis”, afirmou o Conselho Militar

Segundo fontes médicas, seis manifestantes morreram no evento. De acordo com o jornal francês Le Figaro, desde dezembro do ano passado, 90 pessoas foram mortas pela Polícia em manifestações. As autoridades do País falam em 65 mortes.

O governo de transição, previsto no Acordo, será composto apenas por civis, superando o obstáculo inicialmente posto pelos militares. “Enquanto isso, o obstáculo mais importante, o da soberania reivindicada pelos militares, foi superado. Este novo órgão de transição será totalmente composto por civis e terá total poder legislativo e os militares quase terão, de alguma forma, um papel simbólico, mas o verdadeiro poder legislativo estará nas mãos dos civis”, afirmou a jornalista italiana Salerno Antonella Napoli.

No mesmo dia do acordo, o ex-presidente, Omar al-Bashir, preso em Cartum, capital do País, foi indiciado pelo assassinato de manifestantes durante atos contra seu governo.

Fonte: Vatican News/ G1/ Le Figaro

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.