SÃO PAULO

Corpus Chisti

'A participação na Missa é a melhor forma de iniciação à fé católica e à participação na vida da Igreja'

Por Nayá Fernandes
20 de junho de 2019

"Não existe conversão e renovação missionária, sem uma renovada valorização da Eucaristia na nossa Igreja. A celebração de hoje mostra-nos a estreita relação existente entre Eucaristia, Igreja e missão. A Eucaristia é o Sacramento do Corpo e Sangue de Jesus Cristo, memorial de sua Paixão, Morte e Ressurreição redentora. E a celebração da Eucaristia é o 'Sacramento da Igreja', que a torna visível, real e compreensível. A Igreja faz a Eucaristia mas, ainda mais, é a Eucaristia que faz a Igreja, comunidade dos discípulos reunidos com Jesus Cristo, alimentada, confortada e conduzida por Ele e sempre de novo enviada em missão", afirmou o Cardeal Scherer, durante a homilia da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, na quinta-feira, 20, na Praça da Sé.

A missa da Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo começou às 10h em frente à Catedral da Sé, na quinta-feira, 20. Presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, e concelebrada pelo Cardeal Claudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo, os bispos auxiliares da Arquidiocese e Dom Mathias Tolentino, Abade do Mosteiro de São Bento.

Na homilia, o Cardeal recordou que a Arquidioce está em sínodo e que a participação na Eucaristia é essencial para o fortalecimento na fé. Confira a íntegra da homilia.

Sínodo e valorização da Eucaristia

Há dois anos, convocamos o primeiro sínodo arquidiocesano de São Paulo e, agora, já estamos no meio do caminho sinodal. A realização de um sínodo é uma experiência eclesial de grande importância e significado, cujos frutos confiamos à ação do Espírito Santo. Nosso sínodo é um 'caminho de comunhão, conversão e renovação missionária' para toda a nossa Arquidiocese.

Não existe conversão e renovação missionária, sem uma renovada valorização da Eucaristia na nossa Igreja. A celebração de hoje mostra-nos a estreita relação existente entre Eucaristia, Igreja e missão. A Eucaristia é o sacramento do Corpo e Sangue de Jesus Cristo, memorial de sua Paixão, Morte e Ressurreição redentora. E a celebração da Eucaristia é o 'Sacramento da Igreja', que a torna visível, real e compreensível. A Igreja faz a Eucaristia mas, ainda mais, é a Eucaristia que faz a Igreja, comunidade dos discípulos reunidos com Jesus Cristo, alimentada, confortada e conduzida por Ele e sempre de novo enviada em missão.

Por isso tudo, hoje desejo recordar a importância da celebração e da participação do sacramento da Eucaristia e da Missa em nossas paróquias e comunidades. A participação na Missa dominical é um preceito da Igreja, que não foi abolido e deve ser levado bem a sério pelo povo católico. A pesquisa de 2018, sobre a situação religiosa e pastoral da nossa Igreja em São Paulo, mostrou que apenas cerca de 5% (cinco por cento) dos católicos frequentam regularmente a Missa dominical; outros cerca de 25% (vinte e cinco por cento) frequentam a Missa de vez em quando. E são cerca de 70% (setenta por cento) dos católicos paulistanos que não frequentam a Missa nunca, ou quase nunca.

Isso é muito preocupante, pois a não participação regular na Santa Missa tem como consequências quase inevitáveis o distanciamento da Igreja, a não identificação com ela e com sua mensagem e missão, o desconhecimento de seu significado e de sua doutrina, a perda da fé católica e o indiferentismo religioso. A participação regular na Missa dominical é a melhor forma de “iniciação” à fé católica e à participação na vida da Igreja; ela oferece o alimento da fé, aprofunda a comunhão com Deus e com os irmãos, ajuda a sentir-se parte deste “povo de Deus” que crê, celebra, professa, espera e testemunha.

Quem não participa regularmente da Missa dominical por onde alimenta sua fé católica? Caminha sozinho e se priva da força do testemunho da comunidade e não se alegra com essa comunidade. Com facilidade, perde o contato com a Igreja, vai se sentindo estranho a ela e tende a perder a fé católica. Portanto, nesta festa do Corpo e Sangue de Cristo, renovemos nossa fé neste sublime Mistério da fé. Peçamos o perdão, por não valorizarmos bastante esse presente de amor que Cristo nos deixou, para nos lembrarmos sempre dele, como ele nos recomendou: – “fazei isto em memória de mim”. E lhe agradeçamos por ter dado à sua Igreja este precioso dom.

Cardeal Odilo Pedro Scherer, 

Arcebispo de São Paulo, 20 06 2019.

 

'Vemos a grandeza da Igreja'

Centenas de fiéis de diferentes regiões de São Paulo lotaram a Praça da Sé para participar da celebração. Muitos voluntários participaram, tanto da confecção do tapete de Corpus Christi quanto da missa. Diogo Fernandes Nunes, 18, e Julia Dias de Oliveira Neta, 28, chegaram por volta das 22h da quarta-feira, 19, para trabalhar na confecção do tapete. "Foi uma experiência muito bonita de fé e unidade", disse Julia, que pela segunda vez dorme na Praça antes do Corpus Christi. Diogo, por sua vez, disse que muitas pessoas em situação de rua e outras que passavam pela Sé perguntavam sobre o tapete. "Muitas criticavam também", afirmou o jovem que é membro da Comunidade Missão Mensagem de Paz.

Gabriel Augusto, 20; Fátima Gisele, 26; e Rafaela Moura, 21, são da Paróquia Santa Inês, na Região Episcopal Santana. Eles participam da Comunidade Católica Missão Eleitos e estavam na Equipe da Apoio da Celebração, sobretudo para ajudar durante a procissão que seguiu, após a missa, da Praça da Sé até a Igreja de Santa Ifigênia. 

"É sempre uma experiência muito bonita participar destes grandes eventos da Arquidiocese, pois vemos a grandeza da Igreja", disse Rafaela.

Hugo Munhoz, Carmem Lúcia de Carvalho e Merquinha Conegundos integram um grupo que organiza a Romaria das Vans e Transportes Escolares a Basílica de Aparecida (SP). Pela primeira vez, eles foram à celebração para ajudar na equipe de apoio. "Somos hoje, aqui, um grupo de 35 pessoas, mas ao todo são mais de 200 vans e na quarta romaria, que será dia 20 de novembro. Pretendemos reunir cerca de 18 mil vans para irmos juntos à Aparecida", explicou Merquinha, coordenadora do grupo.

 

Após a missa, os fiéis seguiram em procissão com o Santíssimo Sacramento até a Igreja de Santa Ifigênia, e cantando e rezando pediram pela cidade de São Paulo e pela Igreja Católica, sinal da presença de Deus na Metrópole.

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.