NACIONAL

Esporte

A importância da Educação Física para a escola e a sociedade

Por Flavio Rogério Lopes
11 de fevereiro de 2019

Jovens participam de amistoso de handebol durante o 72º aniversário da Brasilândia por iniciativa do Conselho Participativo Municipal da Região

Arquivo pessoa

A primeira semana do mês de Fevereiro é conhecida como os dias que marcam o início das aulas nas escolas do Estado e da Prefeitura de São Paulo. Uma das disciplinas mais amadas pelos alunos é a de Educação Física, um ensino muito importante para o desenvolvimento do corpo e da mente e que contribui, inclusive, no desenvolvimento escolar e na formação do cidadão.

 

CONSTRUÇÃO DO INDIVÍDUO

A escola é uma importante etapa na construção do indivíduo. As experiências adquiridas durante esse período são determinantes para o seu desenvolvimento, tanto físico como psicológico. Segundo especialistas, a prática de atividades físicas deve ser estimulada desde a pré-escola, e as crianças devem aprender seus benefícios.

O desenvolvimento de diversos padrões éticos e morais pode ser estimulado pela prática do esporte, como o respeito, a importância do trabalho em grupo, saber apreciar a vitória e aprender com as derrotas. A professora de Educação Física Gigi Pavanello, do Colégio Mirandópolis, fala sobre a importância da disciplina para toda a sociedade.

 

BASE DOS JOVENS

“A Educação Física não tem função, pelo menos direta, de formar atletas. Entretanto, é a primeira base dos jovens. Educar o físico do aluno (que é nosso objetivo principal) é sem dúvida a parte mais fácil e divertida. No entanto, é nesta disciplina que diagnosticamos o comportamento social do indivíduo”, disse a professora em entrevista ao O SÃO PAULO.

Segundo a educadora, cada geração exige uma postura técnica diferente, e cada professor possui uma metodologia à qual se sente mais atraído. Mas a base acaba sendo a mesma, mesmo que indiretamente. A professora reforçou que “a educação precisa se reformular como um todo e entender o ser humano como único”

“Quando analisamos o contato com os alunos, notamos que a cada geração temos que nos adaptar e igualmente adaptar o conteúdo para crianças e jovens com síndromes, transtornos e doenças de modo geral. Aspectos psicológicos estão sento exigidos dos professores cada dia mais”, concluiu.

 

CONSELHO PARTICIPATIVO

O Conselho Participativo Municipal (CPM), de São Paulo, conta com conselheiros eleitos pelo povo, que atuam em diferentes áreas, com o objetivo de lutar pelas demandas da comunidade. O CPM da Freguesia do Ó/Brasilândia procurou a supervisão de esportes da subprefeitura para oferecer parceria na organização de eventos esportivos como um campeonato de Futsal realizado no 72º aniversário da Brasilândia.

“Quando um jovem participa ativamente de um esporte, aprende a conviver com sentimentos e papéis sociais importantes que vão ajudá-lo em seu desenvolvimento pessoal e profissional. Muitas vezes, espera-se desse jovem que suas notas melhorem e que ele se torne um aluno exemplar. Com certeza, o esporte o ajudará muito nesses aspectos”, disse Aline Manetta, professora de Educação Física, responsável por projetos esportivos na região e Coordenadora do CPM Freguesia do Ó/ Brasilândia, à reportagem.

 

JOVEM PROTAGONISTA

Segundo Aline, o CPM está buscando parcerias para a construção de um calendário esportivo para o ano de 2019. O grande diferencial do projeto é que o jovem não participará apenas como atleta, mas será seu protagonista, pois é convidado a levar demandas para o Conselho e oferecer sugestões para que se tornem viáveis.

“Quando o jovem entende que ajudar o seu colega a melhorar também o fará evoluir, ele começa a amar o esporte. A minha experiência é inexplicável, poder ver o laço de confiança que pode se formar quando crianças e jovens trabalham juntos por um único ideal é algo que com certeza me faz sentir a pessoa mais feliz do mundo”, concluiu.

 

LEIA TAMBÉM: Brasil enfrenta Bolívia, Venezuela e Peru na fase de grupos da Copa América

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.