NACIONAL

Amazônia

338 municípios da Amazônia Legal têm conflitos agrários

Por Redação
10 de outubro de 2017

Foi lançado em 8 de setembro, em Brasília (DF), o “Atlas de Conflitos na Amazônia” que mapeia os conflitos agrários Amazônia Legal

CNBB

A Comissão Pastoral da Terra (CPT), a Comissão para a Amazônia e a Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam) lançaram na quinta-feira, 28 de setmbro, em Brasília (DF), o “Atlas de Conflitos na Amazônia”.

De acordo com o mapeamento, existem conflitos agrários em 338 municípios da Amazônia Legal (que compreende os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Tocantins, Pará, Rondônia, Roraima e partes do Mato Grosso e Maranhão).

Durante o lançamento do relatório, Dom Leonardo Steiner, Secretário-geral da CNBB, afirmou que a partir do Atlas surge uma oportunidade de ajudar a construir uma nova mentalidade em relação à Amazônia. “Nós vamos entregar esse Atlas ao Papa Francisco, que tem olhado muito para a Amazônia”, prometeu o Bispo.

Dom Leonardo também chamou atenção para o fato de o Atlas ter sido lançado no momento em que, após a pressão da sociedade, houve a revogação do decreto que objetivava abrir a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca). “Com a Renca, a sociedade despertou para uma realidade adormecida. Então, o Atlas veio em um bom momento, trazendo dados relevantes para o País e para o Ministério Público Federal olhar cada vez mais para o meio-ambiente”, comentou.

Fontes: CNBB e CPT 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.