Sínodo Arquidiocesano

Abas primárias

Envia teu Espírito e nos mostra o caminho, converte-nos agora e renova a Tua Igreja!

É saudável, quando percorremos uma trilha, que sempre façamos uma parada para retomar o “sentido” e o “objetivo” do caminho que propusemos a realizar, a fim de que não percamos o “horizonte” que almejamos e nos animemos a atingi-lo.

Em 15 de junho de 2017, iniciamos o caminho sinodal na Arquidiocese de São Paulo com o seu anúncio e convocação pelo nosso Arcebispo, Cardeal Odilo Pedro Scherer. Desta data até hoje, já realizamos a etapa preliminar, na qual foi feita ampla difusão do sínodo e motivação do Povo de Deus em São Paulo para que se envolvesse na sua realização e, no momento, as paróquias, comunidades e organizações eclesiais no âmbito paroquial estão se envolvendo e participando desse caminho sinodal.

 Nesse percurso, sentimos a necessidade de retomarmos o “sentido” e “objetivo” do sínodo arquidiocesano, para que tomemos um maior fôlego e prossigamos o seu caminho.

Em primeiro lugar: o “sentido” do sínodo é o de manifestar a “Igreja que somos” e responder, em corresponsabilidade, à vocação da própria Igreja que, vinda da Trindade Santíssima e estruturada à sua imagem, tem como missão viver intensamente a Comunhão, a Santificação, a Missão evangelizadora e transformadora, na medida em que a Igreja anuncia o Reino de Deus a todos e se torna um sinal visível do próprio Reino no meio de todos, a fim de que todos tenham vida em abundância. O “sentido” do sínodo nos interpela a abraçar a Eclesiologia de Comunhão e Missão, de uma Igreja toda ela ministerial, ou seja, que está a “serviço profético” de todos, e uma Igreja que seja ela boa notícia de Jesus no meio dos pobres, marginalizados, migrantes, doentes, jovens, famílias e de todos que têm fome de dignidade e da Palavra de Deus. Por isso que o Sínodo implica um “caminho de comunhão e conversão”.

Em segundo lugar: o “objetivo” principal do sínodo arquidiocesano é a renovação da evangelização e da vida pastoral da Arquidiocese, à luz dos apelos de Deus e da Igreja, e à luz da realidade em que vive a Igreja e, São Paulo. Parte importante desse objetivo é a avaliação e tomada de consciência da realidade da Arquidiocese, de sua organização e de sua ação evangelizadora e pastoral, bem como a elaboração de diretrizes para uma nova organização pastoral. Nesse objetivo, o apelo é que a Igreja de São Paulo, cada vez mais assuma uma Pastoral urbana. Por isso que o sínodo implica um “caminho de conversão e renovação pastoral missionária”.

O “caminho”, o Espírito Santo está indicando. Nossa resposta é a nossa “conversão”, sobretudo de mentalidade, a fim de que sejamos uma Igreja toda ela ministerial, corresponsável na missão evangelizadora e sinal profético-transformador nesta Cidade imensa.

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.